Segundo o estudo Ericsson ConsumerLab TV & Media 2015, verifica-se um forte
crescimento da visualização de serviços de video-on-demand por parte dos portugueses. 
Entre os adolescentes portugueses, mais de 60% utiliza dispositivos móveis para
aceder a conteúdos de TV e vídeo-on-demand.

A qualidade prevalece como a principal característica para os principais consumidores portugueses. Destes, um em cada quatro indica que está disposto a pagar por qualidade Ultra HD e 4K.

Quais as tendências de consumo em Portugal?
Mais de 50% dos consumidores portugueses assistem a conteúdos on-demand de forma diária e regular, estando estes a ser bem sucedidos no que respeita à resposta às necessidades dos consumidores, permitindo assim que mudem os seus hábitos de consumo de vídeo. Os portugueses inquiridos assistem, cada vez mais, a categorias de conteúdos emergentes e a conteúdos criados pelos utilizadores (user-generated content – UGC), afirmando-se assim como nichos. Ao mesmo tempo, os portugueses gastam já mais de 4 horas por semana em streaming de conteúdos de longa duração, sendo que as séries de TV representam cerca de metade da amostra.

A geração “Millennium” utiliza cada vez mais os dispositivos móveis, como smartphones, tablets e portáteis como ecrãs de eleição. Entre os adolescentes, mais de 60% das suas visualizações acontecem num ecrã móvel.

Ericsson ConsumerLab TV & Media 2015-2

Sobre o estudo Ericsson ConsumerLab TV & Media 2015
Baseado em inquéritos a mais de 22.500 pessoas, as conclusões do Ericsson ConsumerLab TV & Media Report 2015 representam 680 milhões de consumidores, fazendo com que este seja o maior estudo da sua natureza na indústria da televisão. Com dados de suporte e perspetivas provenientes de medições em equipamentos e em pesquisas qualitativas, o relatório detalha os mais recentes comportamentos, atitudes e exigências dos consumidores em relação a TV e media, a o potencial impacto que estas tendências podem ter nos atuais modelos de negócio desta indústria.

As entrevistas foram elaboradas junto de consumidores com idades entre os 16 e os 59, e os 60 e 69 anos em 20 mercados: Brasil, Canadá, China, Colômbia, França, Alemanha, Grécia, Irlanda, Itália, México, Portugal, Rússia, Espanha, Coreia do Sul, Suécia, Taiwan, Turquia, R.U., Ucrânia e E.U.A. Todos os inquiridos têm uma ligação de banda larga em casa, e consomem TV/vídeo pelo menos uma vez por semana. Quase todos usam a Internet diariamente.

Anúncios